Segundo Max Gehringer, é fazer tudo aquilo que os trabalhadores (eleitos pelo povo) fazem no congresso nacional. Com uma diferença, “sem nenhuma das vantagens que eles têm”.

  1. Aprender a engolir sapos, e ainda pedir para repetir o prato.
  2. Saber costurar alianças profissionais, mesmo que outra pessoa seja detestável.
  3. Aceitar as críticas com ar de humildade.
  4. Não se prevalecer de um cargo, ou de uma situação, para humilhar ou menosprezar colegas.
  5. Elogiar quem merece um elogio.
  6. Dar sempre a impressão de que está disposto a colaborar.
  7. Ser um bom ouvinte.

Revista Época de 31 de julho,2006. Pág. 63

“Meios lícitos e fins lícitos – a ética maquiavélica em confronto com a ética aristotélica”.