Fonte: GDF – Governo do Distrito Federal

 

Na canção ” a 3ª do plural”, da banda Engenheiros do Hawaii, nos versos “silicone contra a gravidade” – há a projeção de que a estrutura química vem  contrapor à lei da gravidade.

Uma verdade. O uso cada vez mais por mulheres brasileiras em busca do corpo perfeito. Usa para deixar o bumbum mais duro, aumentar os seios, coloca nas coxas, etc. 

E percebi dias atrás quanta contradição na corrida pelo corpo perfeito. Nem mesmo o silicone vai resolver a lei da natureza. Os galhos de árvores sobem e um dia caem. Assim são as folhas. Os rios nascem nas grandes e altas montanhas, e despencam cordilheiras abaixo. 

Olhando pra pessoas que caminhavam na Praça da Liberdade, vi belas jovens, coroas e velhotas. Quanta diferença entre corpos, sabendo que as garotas belas um dia serão velhotas. Com os seios cumprindo a lei da gravidade, o bumbum seguindo o seu curso, as pernas com os cernes de árvores, resistindo ao galhos velhos até a morte. 

Tive a belíssima sorte de assentar para um descanso na praça. Posicionei-me no centro de um banco virado de frente para o Palácio da Liberdade. Duas mulheres que por ali caminhavam, assentaram no mesmo banco, cada uma de um lado.  

Naquele momento eu fazia uma foto do Palácio, e começamos a conversar sobre a foto, quais eram os meus objetivos com ela, etc. 

O que me surpreendeu foi como duas mulheres de idades tão extremas, uma de 72 e a outra de 23 anos tinham suas idéias tão renovadas, atualizadas, sem alienação, sem conservadorismo – um papo excelente. 

Falamos sobre política, cultura, arte, pobreza, etc. Até que eu fiz a pergunta. – Será que todo mundo que caminha aqui, percebe que esse espaço deixa de ser público e torna-se privado? – Ou preocupam apenas com suas belezas externas? 

A senhora me apontou um outro motivo para a caminhada, a saúde. E a jovem disse que sempre preocupava com o tema das minhas questões, e que chegou a organizar um protesto contra o que está acontecendo, mas ainda não executou. 

Mas ambas disseram que é tudo em vão, querer contrapor às leis da natureza. Que um dia tudo que subir vai descer. Exceto a postura crítica, as idéias, o bom papo, etc. 

Valeu dona A. M. A (72) e L.C (23).