Para você visitante do Blog do Marcone, vou explicar o que está acontecendo.

  • Um site chamado WikiLeaks publicou documentos dos EUA sobre a guerra no Afeganistão.
  • Este site tem por objetivo publicar documentos “sensíveis” de interesse público. Fornecido por denunciantes jornalistas, documentaristas e ativistas. O bacana é que até agora nem com ameaças e atentados os criadores revelaram sua fontes.
  • Veja uma breve descrição do QUEM SOMOS deles: “Acreditamos que a transparência em atividades governamentais leva à corrupção reduzida, melhor governo e democracias mais fortes. . Todos os governos podem se beneficiar de maior controlo por parte da comunidade mundial, bem como o seu próprio povo.  Acreditamos que esta análise requer informação. Historicamente, essa informação tem sido dispendioso – em termos de vida humana e dos direitos humanos. Mas com os avanços tecnológicos – a internet, e criptografia – os riscos de transmissão de informações importantes podem ser reduzidos”.
  • Então se o objetivo é tornar público aquilo que é escondido da sociedade, para isso eles precisam ter a fonte e o caso.
  • E foi isso que ocorreu com a Guerra no Afeganistão, uma fonte, que segundo o Fundador do WikiLeaks não conhece o emissor dos vários relatórios de guerra ao site. Comprometendo o Pentágono, a Casa Branca e o Congresso Americano.
  • Barack Obama, implorou ao criador do WikiLeaks, Julian Assange que não publique o restante dos documentos.

O que têm nestes relatórios? (clicando no link anterior você vai ter acesso aos relatórios, inclusive vídeos está em inglês)

O título é: O Diário da Guerra do Afeganistão – 2004 a 2010

– Segundo a publicação dos relatórios há informações de várias ações militares letais envolvendo civis.

  • Encontros secretos do Exército Americano com personalidades políticas.
  • Entre os civis a maioria são crianças que não conseguem esconder no momento dos ataques aéreos.
  • As manobras e manipulação na identificação de mortos. Por exemplo, dentre os mortos uma quantidade “x” têm que ser considerada INSURGENTES. Independente de quantas e quem seja os mortos.

Qual o objetivo de publicar isso, por parte do WikiLeaks?

 A expectativa do site é que o  impacto disso levará a uma compreensão expandida da guerra no Afeganistão e das outras guerras, em especial lideradas pelos Estados Unidos. E o questionamento da publicação PARCIAL da imprensa no mundo todo.