“Guerra às meninas” – é o título de uma reportagem que li em Carta Capital.

Crianças chinesas

O texto traz o relato de uma escritora chinesa e sua narrativa sobre a matança de crianças do sexo feminino em países como a China, Índia, Cingapura, Taiwan e Coréia do Sul.

Ao nascer uma criança “menina-mulher”, elas são jogadas em latas de lixo. Para as autoridades disfazer-se de um bebê menina não é uma grande coisa por lá.

Esse é o preço do milagre econômico. São os problemas recorrentes na segunda maior economia global – China. Algumas pesquisas apontam que daqui 10 anos  o País terá entre 30 e 40 milhões mais jovens do sexo masculino do que feminino. Teme-se que a cada cinco homens, 1 não encontrará uma esposa.

Seria esse “genocídio” uma consequência da “política de filho único“? Ou produto da mediocridade humana frente aos interesses econômicos e políticos?