Reafirmo que a proposta deste blog é colocar em debate a informação de forma democrática, clara e acessível. Então, cumpre-se aqui o dever de FICHAR o manifesto de Leonardo Boff em defesa da verdade.

– Texto fichado: “A mídia comercial em guerra contra Lula e Dilma

  • o autor é um teólogo brasileiro, ex-membro da Ordem dos franciscanos, engajado nas causas sociais e políticas do País. Pode-se dizer que Boff foi o pai da chamada Teologia da Libertação (ver) no Brasil. Autêntico, ele chegou a questionar a hierarquia da Igreja Católica, o que rendeu punição de “silêncio obsequioso” pelo então, hoje Papa, Joseph Ratzinger, o Bento XVI.
  • Resumindo, foi punido pela liberdade de expressão.
  • Esta história de vida, me avaliza para fazer as críticas que ora faço ao atual enfrentamento entre o Presidente Lula e a mídia comercial que reclama ser tolhida em sua liberdade“.
  • No manifesto Boff aponta para diferença entre enfrentamento de idéias e liberdade de imprensa.
  • Esta última (a Imprensa) com ABUSO, integra toda sua força contra a eleição de Dilma Rousseff, fazendo-se valer das coisas mais absurdas: mentiras, ocultação de fatos e distorção da realidade.
  • E ele dá nome a essa “imprensa negra“: para Boff está em jogo os interesses comerciais e ideológicos da Famílias Marinho (Globo), Civita (Veja) e Frias (Folha de São Paulo), entre outros. Comportando-se como um partido político.
  • Para este seleto grupo de mídia é inaceitável um presidente que veio das classes mais baixas. Um operário que chegou ao poder, sem ainda usar-se dele. Precisou da confiança do povo, que quando unido e articulado É O PODER.
  • Mas há um fato que eles não conseguem digerir em seu estômago elitista. Custa-lhes aceitar que um operário, nordestino, sobrevivente da grande tribulação dos filhos da pobreza, chegasse a ser Presidente. Este lugar, a Presidência, assim pensam, cabe a eles, os ilustrados, os articulados com o mundo, embora não consigam se livrar do complexo de vira-latas, pois se sentem meramente menores e associados ao grande jogo mundial. Para eles, o lugar do peão é na fábrica produzindo“.
  • O manifesto defende  e analisa que a guerra contra Lula e Dilma é uma guerra contra o POBRE e a sua LIBERTAÇÃO da classe em que se encontrava (miséria, exclusão, abandono por parte do ESTADO, etc).
  • Os de baixo devem ficar em baixo. Ocorre que alguém de baixo chegou lá em cima. Tornou-se o presidente de todos os brasileiros. Isso para eles é simplesmente intolerável“.
  • A mídia compreende e sabe que VOTAR EM DILMA (LULA) é votar-se no povo. É o resultado de “movimentos sociais organizados” – há uma libertação das classes dominantes das eras FHC e Ditadura Militar.
  • A mídia sabe também que mais de 30 milhões de pessoas mudaram suas vidas para melhor. E ela acha que isso já basta. A vez do Estado não ser inimigo do povo, como sempre foi, já chega. É hora de assumir novamente o controle do País.
  • De miseráveis se fizeram pobres laboriosos, de pobres laboriosos se fizeram classe média baixa e de classe média baixa de fizeram classe média. Começaram a comer, a ter luz em casa, a poder mandar seus filhos para a escola, a ganhar mais salário, em fim, a melhorar de vida“.
  • O que está em jogo na chuva de reportagens que vemos todos os dias é: QUE BRASIL QUEREMOS? Aquele que o buraco que separa os ricos e pobres é sem fundo? Que um saco de cimento custava na época da mídia no poder e outro grupos, até mais de R$ 30,00? Que o turismo não era para o povo brasileiro e só para gringo?
  • A mídia combate um Brasil (o povo) na pessoa do Presidente Lula e da candidata Dilma.
  • Pode se esperar mais mentiras, distorções e factóides. Até 3 de outubro tudo pode e vai acontecer. Lembram da edição do Jornal Nacional no debate entre Lula e Collor em 1989.
  • Os profissionais envolvidos diretamente no caso têm diferentes explicações para o episódio, mas concordam em um ponto: a edição foi imparcial e manipulada em benefício de Collor. Mas então, qual é a dúvida? A dúvida paira sobre a responsabilidade jornalística; quem manipulou e por quê“?

Estimados visitantes, é com muita felicidade que agradeço a sua visita no blog. Mas ficarei ainda mais feliz com a sua divulgação em especial desse post. Em favor da democracia e o do bem comum.