O tamanho é importante apenas para o macho. Só a ele interessa isso. Independente de sua condição social, financeira, política e raça. Besteira né? Enquanto os machões ficam perdendo tempo com isso, ficam cada vez mais distante das realidades da fêmea.

Literalmente o buraco deve ser mais embaixo. É relevante também mais profundo, o prazer sexual da fêmea está associado à uma combinação (aproxima de uma equação) de fatores.

A coisa é maior expressivamente. Alardeando todos os sentidos:

  • Visão – “é um lago negro seu olhar”, isso mesmo é preciso ter profundidade. Um olhar precisar falar e ouvir.
  • Tato: “nas suas curvas derrapar”, “é preciso ter pegada”, uma fêmea pode não falar isso mais pensa. Combinar impressão digital, fundir silhuetas corporais.
  • Paladar – é surpreender-se com os sabores mais adversos que a imaginação pode ter. É usar como pela última vez as glândulas salivares, é fazê-las trabalhar ao extremo, uma força escravista dos senhores feudais do desejo.
  • Audição – ela quer ouvir, não alto e bom som, mas baixinho e verdadeiramente um som que combine notas musicais, mas pode até ter ruídos.

Um macho se torna infinitamente GRANDE, quando transforma estas fantasias da fêmea em realidade. O resto, o tamanho não importa, o tempo de uso é muito curto.