O que vale no primeiro encontro? O presente ou a promessa?

 

Taí uma pergunta que habita com frequência rodinhas de amigas. Seria equívoco meu tentar abordar, em um post, todos os desdobramentos e todas as influências de um tema que, por si só, renderia um livro. Julguei, assim, que a melhor forma de otimizar o assunto seria elencar tópicos rápidos e objetivos. Apresentarei uma espécie de prós e contras, e você, mulher, decide sozinha o fim de sua noite, ok? Vambora:

– o homem não se pergunta no primeiro encontro: “Será que como?”;

– mas homens são homens, mulheres são mulheres. Sexismo não é machismo. Quem tem pipi é ele e não você. E homens são, pelo instinto de perpetuação da espécie, programados para copular. Você pode gerar uma criança em um ano. Ele pode fecundar dezenas em um dia;

– se ele, homem, faz o que tem vontade, por que você, mulher, tem de passar vontade?;

– se você der e ele te achar uma vaca e sumir, calma, veja pelo lado positivo. Você descobriu de cara que o sujeito era um babaca. Ia querer um cara assim, com essa cabeça, ao seu lado?;

– chupetinhas, roça-roça, pega-pega e chupa-chupa sem liberar pra valer a verba vão, na maioria das vezes, realmente deixar o cara ligado e fazê-lo voltar. O risco aí é ele ter uma cabeça aberta, ser um cara bem-resolvido e achar você uma completa babaca;

– use camisinha. Estamos falando aqui de primeiro encontro, você não o conhece direito. E, se o cara pede ou insinua que quer te comer sem capa, triplique o sinal de alerta! Se ele te propôs isso, é porque faz também com outras tantas sem preservativo. Abra o olho, filha;

– ajoelhou, reza! Se resolveu dar, faz direito, tente se soltar, relaxar e curtir. Quanto melhor for a transa, mais chances tem de rolar de novo, óbvio;

– é natural a gente se preocupar com o que os outros pensam, sim. Essa coisa de “não to nem aí para o que vão dizer” é mentira, você está “aí”, sim! Do contrário, num dia quente, sairíamos pelados na rua. Buscar saber o que ele pensa sobre o assunto pode ajudá-la a fazer sem grilos;

– “não me arrependo do que faço, me arrependo do que eu não faço”, outra frase pronta e mentirosa. Pense: só hoje você já deve ter se arrependido de umas sete coisas que fez. Se está muito insegura e acha que vai se culpar e sofrer depois, segure um pouco a onda, isso não é covardia e você não é obrigada a nada.

Desculpe ter me enfiado assim, sem aviso, na rodinha das meninas. Mas vale esclarecer que isso tudo que eu relacionei aqui não veio apenas de minha cabeça e do meu julgamento, mas é também resultado das centenas de entrevistas com homens e mulheres que fiz para os livros que escrevi.

Olla, tire o atraso ! (matéria publicada originalmente aqui)