Em 10 de junho deste ano (2010), a polícia paulista encontrou o corpo da advogada Mércia Nakachima dentro de seu carro submerso em uma represa nod arredores de São Paulo. Mércia foi assassinada dentro do veículo e conseqüentemente jogado na represa, segundo a perícia da Polícia Civil paulistana.

Os acusados é seu ex-namorado e também advogado, Mizael Bispo de Souza, de 40 anos. Com co-participação de Evandro Bezerra da Silva, 39 anos. O inquérito policial consta de provas materiais, ligações telefônicas e depoimentos que incriminam ambos.

Mizael Bispo e Evandro Silva respondem ao processo em liberdade. Aliás, Mizael nunca foi preso e jura inocência. Recentemente após confessar participação, o Evandro volta atrás e nega seu depoimento.

Em Mato Grosso, na cidade de Rondonópolis, dois jovens foram presos após serem suspeitos de participação num crime de extorsão. Os dois açougueiros estavam na fila de uma casa lotérica quando a atendente recebeu uma ligação que segundo ela, recebera ordens para fazer um depósito bancário em nome de quem ligava. Sob a alegação de que qualquer atitude contrária seria alvejada com tiros por dois homens que estavam na fila.

Após os jovens se retirarem da fila para passar o cartão de ponto e darem entrada no trabalho, cujo açougue fica no mesmo shopping  da lotérica, tornaram suspeitos para a atendente. Eles foram presos após a polícia analisar as imagens do circuito interno de câmeras e ver os dois saindo.

Fatos e versões – talvez o golpe seja realmente fato, mas os suspeitos virarem criminosos em apenas poucos minutos? E a polícia, que preparação recebe para identificar possíveis criminosos? Você e eu, podemos ser presos a qualquer momento, por simplesmente alguém nos apontar como criminosos?

A justiça mandou soltar os dois jovens por falta de provas. E o Mizael, por que está solto?