O Prêmio Betinho Atitude Cidadã, lançado em 2008 tem como objetivo valorizar as pessoas que de alguma forma no dia-a-dia promovem ações contra a fome e em favor da cidadania. É uma iniciativa para dar visibilidade para quem participa assim, na comunidade onde mora. A cada edição o Prêmio vem crescendo em número de participações da sociedade civil. No ano passado foram cerca de quase 80.000 votos em aproximadamente 1.500 localidades do Brasil.

O processo de seleção dos indicados é a partir das iniciativas que fizeram em sua localização (bairro, cidade, região, etc).  Pessoas com cargos eletivos em entidades político-partidárias não podem participar. Mais informações aqui.

Em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, três pessoas concorrem ao Prêmio.

 

Marilda Vieira Campos trabalha como enfermeira, há 40 anos, na Ação Social Santo Antônio, em Araçuaí (MG). A iniciativa tem como objetivos dar assistência à terceira idade e acolher crianças abandonadas ou em situação de risco, entre 0 a 10 anos. 

A partir de uma parceria com a prefeitura, a Ação oferece aos seus internos atendimento de fisioterapia. A enfermeira Marilda auxilia na administração dos remédios, dos curativos e de tudo que é pertinente à saúde.

Atualmente a ação atende 52 crianças e 47 idosos. E dentre as várias atividades e projetos realizados pela instituição a Marilda destaca uma que ajuda a promover a sustentabilidade e geração de renda: a produção de presentes em embalagens artesanais. Os produtos são confeccionados pelas crianças e por voluntários, comercializados no município e até exportados.

Geralda Chaves Soares

Geralda Chaves Soares iniciou suas atividades com povos indígenas e quilombolas há 30 anos. A primeira foi a tribo Maxacali no vale do Mucuri, MG, na década de 80, período conturbado por conflitos de disputas de terras. De lá pra cá, esteve sempre presente ajudando nas causas indígenas em diversas aldeias nos municípios de Araçuaí, Jequitinhonha e Coronel Murta. 

Suas principais conquistas foram o reconhecimento pelo Governo Federal das comunidades indígenas de Aranã e Caxixó; a demarcação do território dos indígenas Maxacali; e o projeto de vida da aldeia Cinta Vermelha Jundiba. Além disso, a história da tribo Krenak, no Vale do Rio Doce, foi documentada a partir de uma parceria com o Conselho Indigenista Missonários – CNBB.

Atualmente, ela acompanha a socialização das comunidades indígenas e auxilia na construção das aldeias Pataxó e Pankararu no município de Araçuaí. E, ainda, atua em comunidades de Quilombolas que são constituídas por aproximadamente 500 pessoas. Outra iniciativa é o intercâmbio entre comunidades e estudantes de universidade nos EUA.

Fui agraciado na década de 90, quando conheci de perto o trabalho de Geralda, na época conhecida como Geralda “chirri”, acho que é isso mesmo. Em fim, foi quando eu atuei maciçamente nas pastorais da Igreja Católica em Araçuaí. Conheci o trabalho dela, vi as conquistas do povo indígena, meu voto é pra ela.

Há 23 anos Genildo Roberto idealizou uma associação que pudesse contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos moradores do bairro Esplanada, em Araçuaí (MG). Fundada em 1987 a Associação União dos Moradores do Bairro Esplanada – AUMBE oferece uma creche para crianças de 0 a 4 anos, acompanhamento nutricional, um telecentro e um programa de alfabetização para adultos. 

As ações desse projeto ajudaram a diminuir a criminalidade e os índices das ocorrências com menores infratores, chegando próximo a zero. A iniciativa atende 50 crianças na creche e 70 jovens nos telecentros que em alguns casos continuam o trabalho da instituição. “Destaque para jovens a adultos que foram amparados pela creche quando crianças e hoje, prestam serviços voluntários como forma de retribuição e fortalecimento da responsabilidade social”, explica o indicado.

Os principais resultados desse trabalho não se expressam em números. A associação estimula a formação cidadã e dignidade social, e garante o direito à alimentação, educação, esporte, cultura e lazer. Através do projeto os jovens também são motivados e inseridos no mercado de trabalho.

Estimados visitantes, participem dessa atividade. Vocês não têm idéia do quanto é importante o reconhecimento das ações dessa gente. Independente de quem ganha, sendo Marilda, Geralda ou Genildo. Eles merecem o reconhecimento pelas suas ações.
Comente aqui essa iniciativa do Prêmio e divulgue.