Do blog Papo de Homem.

Nós, humanos, somos monogâmicos? É da nossa natureza trair? Se ser fiel é fácil, por que a traição é o único pecado que merece dois mandamentos?

Eis os clássicos 10 Mandamentos, retirados da Wikipedia:

“Eu Sou o Senhor, o teu Deus
Não terás outros deuses além de mim
Não farás para ti nenhum ídolo
Não tomarás em vão o nome do Senhor, o teu Deus
Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo
Honra teu pai e tua mãe
Não matarás
Não adulterarás
Não furtarás
Não darás falso testemunho contra o teu próximo
Não cobiçarás (a mulher do teu próximo)
Não cobiçarás (a casa do teu próximo)”

Fato, ser fiel não é fácil. Claro que você pode achar que é, e  pode até ser, mas no seu caso. Fidelidade é um grande tabu em nossa sociedade, extravasada em mandamentos, punições severas a infiéis – de pedradas nelas a “se pego, mato” – e ficções cativantes nas quais amantes roubam a cena.

Afinal, somos animais monogâmicos? Socialmente sim. Em grande parte das culturas modernas as famílias giram em torno de um homem e uma mulher; poligamia é uma exceção. Agora, a história biológica diz outra coisa…

Já vimos nos textos anteriores que a estratégia reprodutiva de  mais sucesso em animais que se reproduzem em pares envolve algumas escapadas de cerca. Homens vão ter um maior sucesso reprodutivo se conseguirem ter filhos com várias mulheres e mulheres terão mais sucesso se tiverem filhos com homens que possuem uma melhor qualidade genética, que não necessariamente estarão disponíveis ou serão seus companheiros.

Nossa história evolutiva se deu neste contexto, no qual uma certa infidelidade compensava. Mas somos uma espécie cultural e, como vários comentários gostam de me lembrar, não somos governados apenas por nossos instintos. Então o que nossa cultura nos diz?

De 185 sociedades estudadas por Clellan S. Ford e Frank Beach em 1951, 29 estipulavam a monogamia e menos de um terço delas impunha fidelidade restrita. Nas outras 154, o homem podia ter várias mulheres (poliginia) desde que pudesse sustentá-las. Quer uma segunda opinião? George Murdock, antropólogo de mão cheia, pesquisou 238 sociedades diferentes para seu livroSocial Structure (1949). Encontrou a monogamia como sistema único de relacionamento em 43 delas. Monogamia é rara.

Em boa parte das sociedades, passadas ou recentes, poder e riqueza eram sinônimo de mulheres. Os líderes tinham direito a grandes haréns, e o resultado disso para Gengis Khan nós já conhecemos.

Mas nós evoluímos culturalmente, escrevemos e lemos livros, desenvolvemos tecnologias e abrimos mão destes hábitos bárbaros. Não matamos mais uns aos outros, e compreendemos o valor da fidelidade, certo?