87 % de aprovação.

E, coincidência ou não, porque agora não mais acredito em coincidência , segundo Deus ela não existe. Mas hoje no ônibus, lotado, parado no trânsito, um imenso calor (só que adoro calor) duas senhoras comentavam: “o nosso Lulinha vai embora mesmo, tomara Deus que a mulher dele (até achei que fosse Marisa que continuaria por ali, no Planalto) seja boa pra nós – ela tem que ser igual ele…bom pro pobre”.

Isto explica toda essa popularidade.  Que quem não gosta fizesse anteriormente um governo “pró-pobre”,  aumentasse em níveis recordes o número de empregos criados, fortalecesse a balança comercial, que tornasse igual um pouco mais a renda dos brasileiros, que facilitassem o acesso ao crédito, ao consumo, que combatesse a pobreza e a miséria.

Embora o Governo Lula tenha facilitado o acesso ao ensino superior para os milhões de jovens pobres desse País – ainda acredito que poderia ter feito mais pela Educação, Ciência e Tecnologia. Tenho esperanças agora no pré-ministro Aloizio Mercadante.

87 % é a maior aceitação popular de um presidente no Brasil. Somente Lula conseguiu alcançar esse número.