• The Coca-Cola Company é a proprietária da Marca Registrada Coca-Cola.
  • Comercializada em 200 países do mundo.
  • A criação: 1884, uma bebida alcoólica de nome “Pemberton´s, nome de origem do farmacêutico John Pemberton. Ele mistura inicialmente folhas de coca, grãos de noz-de-cola e álcool.
  • Em 1886, Pemberton e Robinson, seu sócio no negócio, começa outros experimentos na receita original. É o início da invenção de xaropes misturados com água carbonada nos mais variados sabores. O laboratório da época era o porão da casa de Pemberton.
  • Em 8 de maio daquele ano a “Jacob´s Pharmacy” diz que a opinião dos clientes é de aceitabilidade para o novo produto.
  • Então, com sua própria caligrafia Frank Robinson cria o logotipo da primeira bebida conhecida hoje como Coca-Cola. 
  • Servidos inicialmente em copos de vidro.
  • 1887, um ano após a sua criação, são vendidos 25 galões de Coca-Cola – é o mesmo que 9 copos por dia, 50 dólares, e prejuízo.
  • 1888, o criador vende a fórmula por 1.750 dólares e vem a falecer no mesmo ano.
  • Então, seu sócio Frank Robinson vende a fórmula ao farmacêutico Asa Griggs Candler por 2.300 dólares.
  • 1893, a marca é registrada.
  • 1900, começa a primeira ideia de marketing sobre o produto. As pessoas do interior ganhavam brindes para vir conhecer a bebida de graça. Calendários e posters que tinham o nome Coca-Cola – a intenção de Candler é que as pessoas nunca deixasse de lembrar onde ganharam aquele brinde com aquele nome – o ponto de venda da Coca-Cola.
  • Fatos com relação ao engarrafamento e a expansão, veja depois aqui.
  • 1918, Candler vende a Coca por 25 milhões de dólares.
  • Período crítico de 1921 a 1940 – Primeira Guerra Mundial, após os EUA entrarem na guerra a Coca-Cola passou a ter racionamento de fabricação. Pois naquela época era a maior consumidora de açúcar do mundo. 
  • 1923, a recessão econômica quase faliu a companhia. Já existente a The Coca-Cola Company.
  • 1931, a salvação do negócio por definitivo. A imagem de Papai Noel associada à marca em pinturas de quadros de arte.
  • Na Segunda Guerra Mundial, o cenário era outro. A Coca-Cola desenvolveu “fábricas móveis” para as frentes de batalhas, com o objetivo de produzir e distribuir a bebida para os soldados americanos, com o aval do Tio San. Foi a mais eloquente tática de marketing apesar dos elevados custos de produção. E, ainda vendeu o produto pelo mesmo preço praticado nos EUA.
  • Qual a vantagem disso? Uma das lições de marketing mais bélicas do mundo (produto de guerra). Com 64 instalações móveis, a Coca-Cola abriu caminho para a internacionalização do produto. Em todos os Países por onde passou o Exército Americano, incluindo o Brasil, a marca foi licenciada. Daí, o símbolo de patriotismo dos americanos. A imagem do refrigerante associada a imagem dos soldados vitoriosos do pós-guerra.
  • 1941, chega a Coca-Cola no Brasil através do Exército Americano, baseado inicialmente no nordeste do País, com o objetivo de proteger as fronteiras.
  • 1943, “Um Milhão de Melodias” é o primeiro patrocínio da Coca por aqui – uma tarde de canções da Rádio Nacional da época.
  • 1943, a produção brasileira do produto era de 150 garrafas por minuto.
  • 1950, a Copa Mundial de Futebol. Médicos brasileiro receitam o refrigerante como fonte de energia para os jogadores.
  • 1952, após a disputa pela redonda nos gramados, uma outra briga está se iniciando ao redor dos Estádios. A disputa pelo público entre a Coca-Cola e o Guaraná Champagne Antarctica – o refrigerante de maior aceitação no País, com 46% de aceitação. A Coca-Cola usa como marketing a fonte da água utilizada na fabricação, dos límpidos rios amazônicos.
  • 1954, é a vez do Papai Noel brasileiro ficar vermelho, o primeiro cartaz com o velhinho de slogan “isso faz um bem”.
  • 1955, de vez a empresa quer conquistar espaço. Várias ações agressivas de marketing são praticadas: a imagem associada ao samba, Carmem Miranda, atrizes como Dóris Monteiro, concursos cultural e o até no maior evento carioca – o carnaval.
  • 1967, até Caetano Veloso é usado. Ele lança a canção Alegria, Alegria”, que tem como refrão a Coca-Cola no verso “Eu tomo uma Coca-Cola, Ela pensa em casamento”.
  • Nas décadas de 70 e 80, alavancam de vez o refrigerante de noz-de-cola. Vários slogan da época acompanhavam o crescimento: “isso é que é“, “dá mais vida” e “abra um sorriso”.
  • 1990, começa a era Coca-Cola na Seleção Brasileira de Futebol, patrocínio em todas as categorias. É a mesma data em que o concentrado, a fórmula geral é fabricada apenas em Manaus e distribuída para todo o Brasil.
  • 1993, um das mais fabulosas campanhas de marketing. “Sempre Coca-Cola” – e associado a isso os apoios em questões de visibilidade mundial como o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias e os Ursos Polares.

Popularidade, Mitos, Polêmicas, Lendas e Controvérsias

  • Não é a bebida mais vendida em todos os países. Por exemplo: Escócia (Irn Bru), Argentina (Pepsi), Canadá, Oriente Médio e Ásia, os Territórios Palestinos e a Índia (por representar o símbolo do sentimento anti-ocidental). Exceto em Israel.
  • Foi lançada recentemente a Mecca-Coca, uma versão Islâmica da Coca-Cola – com o objetivo de conquistar mercado no Oriente Médio.
  • Papai Noel não é da Coca-Cola. Embora, é creditada à bebida a invenção moderna do bom velhinho ou Papai Natal – homem idoso, com roupas vermelhas e brancas (justamente as cores da Coca-Cola).
  • É a maior marca a lançar produtos de marketing de colecionismo.
  • A empresa detentora da marca, The Coca-Cola Company” diz que o refrigerante contém menos ácido do que uma laranja. O seu valor de pH é 2.5, entre vinagre e suco gástrico, resultando em que, devido a essa grande acidez, não seria recomendável ingerir o refrigerante durante as refeições).
  • A Coca-Cola poderia dissolver um dente de 24 a 48 horas ou desentupir um ralo?
  • Será que realmente algumas pessoas morreram ao consumir balas Mentos com Coca-Cola Light?
  • É verdade que apenas dois executivos têm acesso à fórmula, com cada um deles tendo acesso a apenas metade da fórmula?
  • O refrigerante ainda contém extrato da folha da coca nos ingredientes do xarope, o que poderia causar dependência no consumo frequente e o principal motivo do segredo do fabricante?

O uso de folha de coca (na íntegra)

Apesar de a Coca-Cola Company negar há muito tempo, a agência antidrogas peruana, DEVIDA, disse que a companhia compra 115 toneladas de folha de coca do Peru e 105 toneladas da Bolívia por ano, para usar como ingrediente em sua fórmula secreta. Em 2005, na Bolívia, o presidente Evo Morales afirmou que a Coca-Cola usa a produção de coca na fabricação do refrigerante.

O caso Dolly Veja também: Caso Coca-Cola vs. Dolly (na íntegra)

No Brasil, já há alguns anos a fabricante de refrigerantes Dolly vem brigando na justiça pela cassação do registro da Coca-Cola junto ao Ministério da Agricultura e recentemente um laudo do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal brasileira concluiu que a Coca-Cola usa folhas de coca como matéria-prima na fabricação do extrato vegetal (também chamado de mercadoria nº 05).

Nota:

Fonte: Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Coca-Cola)