O Anuário Brasileiro de Segurança Pública, uma publicação do Fórum Brasileiro de Segurança Pública em parceria com o Ministério da Justiça, mostra que em 2010 o Rio de Janeiro diminui em 10% os investimentos aplicados em Defesa Civil. O estado, que em 2009 gastou 136,3 milhões de reais em formação de bombeiros e obras para prevenção contra enchentes e deslizamentos e formação de bombeiros, por exemplo, aplicou 121,7 milhões. Os cortes aconteceram às vésperas datragédia na região serrana no início de 2011, que deixou centenas de mortos e feridos em cidades como Teresópolis e Nova Friburgo. Ao mesmo tempo, o estado teve aumento no investimento em policiamento de 36,38%, em meio às mega-operações policiais para conter a crise de segurança pública no estado e que resultaram nas ocupações de morros cariocas e instalação das Unidades da Policia Pacificadora em comunidades.

Em 2009, o estado havia registrado uma queda no orçamento com segurança de 12,1% para 8,6% em relação ao total de seu orçamento, pouco antes de estourarem os conflitos entre traficantes e forças policiais.

No ano seguinte, o Rio aumentou em 5,49% seus gastos, mas sem priorizar a defesa civil. Por meio de assessoria de imprensa, a Secretária de Segurança Pública do Rio destacou que o aumento no orçamento com segurança é uma marca da atual gestão do governador Sérgio Cabral, que tem em vista a Copa do Mundo e as Olímpiadas na capital do Estado. Além disso, parte dos gastos está sendo orientada para a criação de um Centro de Gerenciamento do Crime, que monitorará as ocorrências a partir da unificação entre Polícia Militar, Federal, Civil e Rodoviária e da instalação das UPPs, que exigem contratação de mais policiais.

O estudo mostrou ainda que, pela primeira vez, os gastos com Segurança Pública da União (9,7 bilhões de reais) em 2010 superaram os gastos do estado de São Paulo (7,32 bilhões de reais). A mudança deve-se, principalmente, ao aumento das despesas da União com defesa civil, que cresceu 58% de 2009 para 2010.

O aumento total do governo federal foi de 33%. Já os gastos de São Paulo caíram 27,62%, de 10,12 bilhões de reais, em 2010, para 7,32 bilhões de reais em 2009. Em todo o país, foram empreendidos 47,5 bilhões de reais na área de segurança.

Outro dado levantado pelo estudo foi que, em 2010, Sergipe foi o estado que apresentou maiores taxas de aumento de violência. Latrocínio (assalto seguido de morte) registrou um aumento de 174,9% no estado.

Fonte: Carta Capital