Pode ser uma dancinha, uma frase deselegante ou uma situação inusitada. Quando cai na internet, se espalha e todo mundo comenta sem parar. A última do momento nasceu na Paraíba. Todos certamente já ouviram a frase que está todo mundo repetindo, menos a Luíza, que está no Canadá.

Mas ela, com certeza, já sabe que virou celebridade no Brasil. Luíza, que está no Canadá estudando, se tornou um “meme”, ou seja, uma imagem, uma frase ou um comportamento que vai sendo repassado pela internet e vira mania. O Bom Dia Brasil conversou com o pai da Luíza e com a própria e mostra o susto que eles levaram com essa avalanche virtual.

Um comercial veiculado em João Pessoa (PB) – “Estou aqui com minha esposa, filho, menos Luíza, que está no Canadá” – e uma frase publicada no mundo pela internet, repetida à exaustão na última semana, inclusive por celebridades como Ronaldo Fenômeno. O colunista social Gerardo Rabello topou fazer a propaganda com a família. Seguiu o roteiro que citava a filha de 17 anos em intercâmbio no Canadá. Em princípio, aquilo pegou mal.

“Pareceu para um público inicialmente uma coisa assim de exibicionismo. Uma coisa pedante, que foi completamente revertida nas primeiras horas”, comenta o colunista social Gerardo Rabello, pai da Luíza.

Em poucos dias, virou um vírus que se espalha rapidamente. “Já chegou rádio do Canadá querendo encontrar Luíza de qualquer forma, porque o governo do Canadá está atrás de Luíza. Então, cria-se uma situação inusitada e muito engraçada. A gente, nos primeiros momentos, não parava de só rindo, porque parecia que não terminava. De uma canseira, uma ressaca que não terminava essa história”, acrescenta o colunista social Gerardo Rabello, pai da Luíza.

Luíza continua no Canadá, mas o pai dela topou conversar e deixou que a equipe de reportagem do Bom Dia Brasil falasse também com a filha, mas por enquanto só por telefone. “Para preservá-la tranquila no Canadá”, disse o pai. Quando ela chegou ao Canadá, Luíza era só uma estudante. Vai voltar conhecida no Brasil.

“É muito estranho, mas eu estou levando tudo na brincadeira. Pessoas que eu nunca tinha visto na minha vida, que eu nunca tinha falando na minha vida, falando e eu sem entender o porquê”, afirma Luíza.

A frase que cita o nome da Luiza virou um hit – ou o que os especialistas chamam de “meme”, do grego “mimeme”. É a imitação de frases, ideias, vídeos ou comportamentos.

“A gente não sabe por que, mas pode ser porque você achou engraçado. Pode ser para pertencer a algo – ‘Ah, ela está fazendo. Vou fazer, porque quero ser cool, quero ser parte da turma’. Às vezes porque você acha que, se você fizer isso, alguém fala que você vai ganhar dinheiro. Às vezes, porque se você não fizer você pode ser punido”, explica a professora de marketing digital Martha Gabriel.

Há décadas a TV é uma das grandes difusoras desses bordões que viram “manias”. Com a internet, elas se multiplicam rapidamente. “Hoje qualquer pessoa teoricamente pode ser o iniciador de um meme ou de um comportamento. Pode ser algo bastante bacana ou pode ser algo bem banal, bem simples e bem engraçado”, acrescenta a professora de marketing digital Martha Gabriel.

A foto com a cabeça no freezer ao lado de um número aparentemente aleatório foi copiada. O vídeo do travesti que mergulha na piscina também. Teve quase um milhão de acessos e ganhou muitas versões.

“O meme acaba sendo um formador de cultura. O que fica – os valores que ficam, as ideias, os comportamentos – eles são somados pelos memes mais fortes. O que é só uma onda, vem e vai, acaba desaparecendo sem problema nenhum”, afirma a professora de marketing digital Martha Gabriel.

Luíza, por enquanto, ainda não aproveita a fama repentina. Afinal, ela continua no Canadá. “Continuo sim, mas daqui a pouco eu estou voltando”, diz a estudante, que embarca nesta quinta-feira (19) para o Brasil. A moça já está cheia de compromissos agendados. A frase vai ter de mudar para: “Até a Luíza, que já voltou do Canadá”.

Fonte: Bom Dia Brasil