No Território do Sudão do Sul, África É que foi verificada uma das mais sangrentas e amargas Guerras da humanidade. A partir de 2011, o Sudão do Sul ganhou a independência do Sudão após um acordo de paz de 2005 que encerrou a guerra civil mais longa da África.

Depois de um referendo, em que a esmagadora maioria dos sul-sudaneses votaram a favor da secessão, o mais novo país da África veio a ser, a primeira desde a Eritréia que se separou da Etiópia em 1993.

Mas duas províncias sudanesas, Kordofan do Sul e Nilo Azul, das quais as pessoas predominantemente queriam se tornar os cidadãos da nova nação, foram excluídos do negócio.

O SPLM-N, a filial norte do Movimento do Sudão Popular de Libertação (SPLM) no Sul do Sudão, consequentemente, pegaram em armas novamente contra o governo sudanês do presidente Omar al-Bashir, e combate continuou dentro e fora desde então. Mas o Mundo finge não saber disto.

Cinco anos atrás, quando a guerra começou, Pessoas e Poder enviou repórter Callum Macrae para investigar alegações de crimes de guerra cometidos pelo regime de Bashir na região. No mês passado, ele voltou.

Fonte: Al Jazeera